Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tem juízo, Joana!

Entre o certo e o errado, o perdido e o achado, o dito e o não dito, encontros e desencontros, da pequenez à plenitude, entre a moralidade e a indecência. Se tenho juízo? Prefiro perdê-lo…

Entre o certo e o errado, o perdido e o achado, o dito e o não dito, encontros e desencontros, da pequenez à plenitude, entre a moralidade e a indecência. Se tenho juízo? Prefiro perdê-lo…

21
Set21

Um post!


0B05BC10-43E7-4898-9561-EF2771F63865.jpeg

ʚ Aquela pressão de fazer um post sem ter nada sobre o que escrever... Sabem?

Ahhhh, mas não te vás embora daqui, tenho tanta coisa para te contar!

ʚ Vem comigo, que tenho de escrever um post!

"Ganha juízo, Joana!", já dizia a minha mãe. Mas qual? Onde vou buscar disso? 

Tenho o cérebro a dar um nó e ainda nem uma palavra de jeito escrevi.

Vamos lá, querida noz, aí em cima, por baixo dessa grande cabeleira despenteada, põe-te a trabalhar, dá-me um tema importante, um tema urgente!

Há regras para cumprir, tempos para acertar, criatividade para extrair e... Puff!

ʚ Pressionada por fazer um post, para vocês não me fugirem, para não se esquecerem de mim. Pressionada por fazer um post com sentido, com princípio, meio e fim. Pressionada por fazer um post segundo as novas dicas do curso de escrita criativa. Fazer um post importante, que vos faça ficar por perto. E no fim, que vos trago hoje? Absolutamente nada! Têm dias assim? 

ʚ Quero acreditar que, desse lado existe quem realmente goste de me ler, que se conecte comigo, que sinta da mesma forma que eu, mesmo quando as palavras me fogem para conseguir chegar até vós.

"Para quê ter juízo, minha mãe?", se este mundo anda louco como eu!

 

P.S - Perder tempo a ter juízo? Prefiro perdê-lo!

P.S nº2 - E depois demorar um pouco para o encontrar! 

 

26
Abr21

Esperança


4108C0E3-25A8-4E8E-AE3F-92860CA71A7F.png

54046563-5D14-42F3-B59B-4EE7ECACAC28.png

A luz no meio da escuridão, o sorriso escondido entre lágrimas, um raio de sol num dia chuvoso. Hoje fala-se de Esperança. Que tem de tão harmonioso, como de instantâneo e escorregadio. Que tem a força de mil homens mas fraqueja no tempo. Um sentimento carregado de boas sensações, com uma sonoridade incrível! No entanto, tão ocasional... É viver por segundos na utopia, porque confiar assim perpetuamente no tempo torna-se humanamente inacessível.

Sentir esperança é inspirar o máximo que conseguimos e oxigenar as células do Acreditar. Traz-nos a fé, a que muitas vezes precisamos para continuar. A esperança é do tamanho dos nossos sonhos, aqueles feitos de futuros risonhos e brilho no olhar.

É também saber esperar, é saber confiar no universo. No que nos é desconhecido. É neste misto de ambiguidade e crença que está a esperança. E de tão bonita que é, permitam-se senti-la mais vezes.

Num mundo como o que vivemos agora, vamos dar à esperança comprimento e tirar-lhe o resvaladiço. Vamos-nos fazer valer dela, para que possamos continuar, de esperança em esperança, a sorrir à vida, com a fé ao colo e luz no coração.

 

Texto premiado para o V encontro de escrita da @yoursmaryjane@omundonasentrelinhas com a colaboração da @aw.ro.ra sobre Esperança. Uma bonita iniciativa, tendo em conta o mundo como o que vivemos hoje. O meu enorme Obrigada a estas artistas! 

 

 

26
Dez20

Que cor tem o Natal? Por Joana, com juízo


1618E056-51CF-4C7A-B91C-026F28CFAEC1.jpeg

Que cor tem o Natal?
.

O meu natal é de xadrez, cruzamentos de cores quentes com cheiro a lenha queimada e bacalhau no forno.
O meu natal tem cor de vermelho-cereja fumegante, entrelaçado em verdes natureza e dourados brilhantes.
Cores feitas de amor-rubi aconchegante, das cores que falam do apego com brilhos de magia do que é estar em família.
Verdejantes cores da saudade e na esperança que nunca nos acabem os momentos em conjunto, de olhos colados uns nos outros e gargalhadas na voz.
Natal iluminado em tons de dourado-riqueza, daquela que vive na sorte de nos termos uns aos outros.
.
Desafiei-me também no meu desafio de Natal e escrevi sobre - Que cor tem o Natal?

Com as cores do arco-íris, ou apenas de branco, desejo a todos um Feliz Natal! 

22
Nov20

Descobri, que não sei falar de amor


B35C724E-CB78-4D75-BB33-4AA249C88C3C.jpeg

Descobri,

que não sei falar de amor.

Das frescuras do coração

Apenas o sei sentir,

Mas expressá-lo não.

 

Descobri,

que não sei falar de amor.

Julgo saber escrê-lo ao mundo

Na escrita, qualquer sentir

Se torna e se mantém profundo.

 

Descobri,

que não sei falar de amor.

Sei rimar por mera cortesia,

Mas no que toca ao amor

Desculpem, não sei fazer poesia.

 

Poema recitado em: Temjuizo_joana

Mais sobre mim:

Segue-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Setembro 2021

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D