Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tem juízo, Joana!

Entre o certo e o errado, o perdido e o achado, o dito e o não dito, encontros e desencontros, da pequenez à plenitude, entre a moralidade e a indecência. Se tenho juízo? Prefiro perdê-lo…

Entre o certo e o errado, o perdido e o achado, o dito e o não dito, encontros e desencontros, da pequenez à plenitude, entre a moralidade e a indecência. Se tenho juízo? Prefiro perdê-lo…

07
Ago20

O Avô Alberto


0160D2AF-95A1-44EE-B11B-DED1F0FB30E7.jpeg

Não gosto de falar na morte,
nem penso muito nela.
Porque os vivos tem a sorte
De ter a vida numa paralela.

Vivemos das recordações,
Amor, paz e saudade.
Temos os mortos nos corações,
E os restos mortais na dignidade.

Em campas ou jazigos,
Lugares por esse planeta.
Estão parentes e amigos,
Mas o avó Alberto ficou na gaveta.

Coitado do avó Alberto,
De quem a família pagou hipotecas
Para ficar guardado decerto
Como quem guarda as cuecas.

Mas recordamos com amor,
Os nossos entrequeridos.
Até na morte, com primor
Guardamos os ossos repartidos.

Mais sobre mim:

Segue-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Agosto 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D